22/02/2019 07:03

Sustentabilidade e bioconstrução norteiam seminário em Lucas do Rio Verde

O evento reuniu cerca de 120 pessoas entre profissionais da área e estudantes
  • Ascom Prefeitura/Carolina Matter
  • 19/10/2018 10:18:00


Discutir solução para o futuro das construções com sustentabilidade e respeitando o meio ambiente, este foi o principal objetivo do I Seminário Inovação e Mercado: Práticas de Sustentabilidade na Arquitetura e Construção Civil. O evento, realizado na noite desta quinta-feira (18), reuniu cerca de 120 pessoas entre arquitetos, engenheiros, construtores, empresários, estudantes e demais profissionais de Lucas do Rio Verde e região. O seminário contou com palestras e mesa de debate.

O arquiteto José Afonso Bottura Portocarrero, referência nacional em projetos voltados para sustentabilidade na construção civil, apresentou o trabalho de pesquisa com moradias indígenas que levou ao desenvolvimento do premiado projeto do Centro Sebrae de Sustentabilidade da construção civil, em Cuiabá. Para ele, toda construção deve ser por princípio sustentável. “Existem algumas construções insustentáveis, como por exemplo com fachada de vidro muito grande sem pensar na posição do sol, gerando mais calor no ambiente, então são coisas que a gente tem que evitar. Construção sustentável é saber construir prestando atenção na ventilação, na insolação, no desenho da casa, na tecnologia e no melhor uso dela, no projeto, enfim, a gente tem que se desapegar de algumas coisas porque senão vamos viver numa bolha vivendo sempre no ar condicionado”, disse.

Portocarrero também citou Lucas do Rio Verde como um exemplo de planejamento urbano. “Urbanismo é isso, Lucas do Rio Verde é uma cidade que tem exemplos para dar, uma cidade urbanizada, ruas largas, muita área verde, são coisas superinteressantes para mostrar, a cidade tem um Plano Diretor que está sendo reciclado, enfim, venho de Cuiabá, uma cidade com 300 anos, e vocês têm 30, e que diferença, Lucas crescendo de uma maneira diferente, com muito planejamento”, completou.

O arquiteto ambientalista João Lucas de Carvalho Neves, com 18 anos de experiência na área da construção civil e pelo menos 10 deles em construção sustentável, abordou os conceitos de permacultura e bioconstrução. Ele defende que, além da parte técnica e edificável, arquitetura sustentável busca a transformação do espaço pelo lado social. “A importância está em mostrar que a arquitetura é mais do que a gente está acostumado a ver, nós vemos todos os dias edificações sendo levantadas, espaços sendo alterados, mas o cunho social, o cunho ambiental, está mais do que na hora de aparecer, de ser pensado na solução do projeto, e quanto mais cedo que começar isso, ainda mais em cidades novas e com grandes potenciais como é Lucas do Rio Verde, a gente tem essa possibilidade de mostrar como se faz isso ou como isso é visto no Brasil e fora também. Hoje, a sustentabilidade é um tema atuante, mas daqui 20, 30 anos isso tem que ser uma coisa comum. A sustentabilidade é um caminho sem volta, com profissionais que estão atuando agora e com estudantes que vão causar um impacto positivo do futuro”, comentou.

A secretária de Planejamento e Cidade, Stella Quaresma, destacou a importância de discutir inovação e mercado com todos os interessados em sustentabilidade. “Debater planejamento urbano, temáticas de sustentabilidade e cidades inteligentes, por meio da inovação e mercado, traz pra nós princípios e premissas muito importantes, ter a oportunidade de ter pessoas renomadas discutindo isso é fantástico, é a criação de uma rede com profissionais técnicos aliando arquitetura, engenharia, conhecimento tecnológico, tudo pra ter uma cidade inteligente, pra alcançar esse nível de cidade sustentável. Nós queremos que deste seminário as pessoas olhem de maneira espacial nossa cidade, com responsabilidades social, ambiental e econômica”, pontuou.

Durante o evento, o professor de arquitetura e urbanismo da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Valdinir Piazza, apresentou a proposta do curso de Pós-Graduação em Sustentabilidade Urbana da UFMT – Curso de Especialização: Planejamento, gestão e projetos: do território ao edifício – em Lucas do Rio Verde. “O Departamento de Arquitetura da UFMT já está discutindo internamente há muito tempo sobre esse curso, era pra ser lançado em Cuiabá, mas Lucas do Rio Verde saiu na frente e nós atendemos a solicitação dos profissionais daqui, então nós estamos saindo das quatro paredes do departamento na capital e vindo com esse curso de pós-graduação pra cá, que trata exatamente das questões de sustentabilidade voltado ao meio urbano e o território do município como um todo. O projeto está tramitando na UFMT, tem a última aprovação prevista para o próximo mês no conselho superior, mas nós já estamos fazendo essa divulgação para atrair os interessados e viabilizar o curso. A previsão é começar as aulas em fevereiro do próximo ano”, explicou.

O seminário foi realizado pela Prefeitura de Lucas do Rio Verde, por meio da Secretaria de Planejamento e Cidade, e a Faculdade de Arquitetura, Engenharia e Tecnologia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), com apoio da Fundação André e Lucia Maggi, e conta com a parceria do Grupo de Trabalho Construção Sustentável, através do Projeto Potencializa.

 

Horário de Atendimento 7h às 11h e 13h às 15h - segunda a sexta-feira
Av. América do Sul, 2500-S - Parque dos Buritis - (65) 3549-8300